Notícias



Responsabilidade socioambiental passa a ser considerada em concessão de financiamentos a empresas


Ampliar a análise na concessão de crédito contemplando riscos de natureza social e ambiental, além da  tradicional análise financeira. Esse é o objetivo do Banco Central ao regulamentar a Resolução 4.327/2014, contendo as diretrizes para que bancos e demais instituições financeiras instituam suas Políticas de Responsabilidade Socioambiental (PRSA). Na prática, a nova regulamentação levará as instituições financeiras a conhecer melhor os clientes, minimizando o risco de financiar projetos de empresas não conformes em relação à legislação ambiental, social, previdenciária e fiscal.


Segundo o gerente de produtos da Serasa Experian, Franklin Thame, a obrigatoriedade de definir uma PRSA leva às instituições financeiras à necessidade de agir a partir do conhecimento das responsabilidades socioambientais de seus clientes. "Com isso, promove-se uma série de benefícios tanto para as próprias instituições como para a sociedade", diz o gerente. Em primeiro lugar, os bancos reduzem o risco de prejuízos financeiros, uma vez que riscos socioambientais impactam nas atividades financeiras. "Uma empresa com não conformidades nas esferas sociais e ambientais tem mais chances de não honrar compromissos assumidos com o credor", esclarece Thame. Segundo ele, ao estabelecer critérios mais abrangentes para a concessão, os bancos mitigam não só a inadimplência, mas também questionamentos judiciais, que podem derivar em riscos diretos ou indiretos. "Uma companhia pode ser saudável economicamente, mas o fato não a habilita a ter crédito, caso esteja incluída no Ministério do Trabalho e Emprego na lista de empresas que praticam trabalho análogo à escravidão ou ainda com processos julgados referentes a crimes ambientais."


A Resolução 4.327 faz com que as instituições financeiras enxerguem o espectro de crédito nas três dimensões: econômica, ambiental e social. "Surgirão oportunidades de negócios para os bancos", afirma Thame. "Ao verificar que determinada empresa não possui filtros para conter a poluição, por exemplo, o banco pode propor uma linha de crédito voltada a este fim. Uma ação como essa promove simultaneamente a sustentabilidade sob o ponto de vista econômico, social e ambiental, fazendo com que as empresas levem a sustentabilidade à sua estratégia de negócios e sejam induzidas a estarem em conformidade com a legislação socioambiental", explica.


As instituições financeiras terão um período de adaptação para que sejam aprovadas as PRSA e iniciados os planos de ação. As empresas do segmento obrigadas a implementar o processo interno de avaliação da adequação de capital, conforme regulamentação em vigor, têm até o dia 28 de fevereiro de 2015 para por em prática suas novas políticas. As demais têm prazo até o final de julho de 2015.


Soluções

A Serasa Experian disponibiliza informações em forma de produtos que vão facilitar a análise de empresas candidatas a crédito. A solução Conformidade Ambiental é uma dessas ferramentas. Ela permite a consulta em forma de relatório a informações de inúmeros órgãos ambientais oficiais, online e real time, e contribui para o gerenciamento do risco da concessão de crédito.  Além de auxiliar os bancos nos processos de financiamentos, a solução Conformidade Ambiental está disponível para todos os CNPJs e CPFs de produtores rurais do país. Ela reúne tecnologia voltada à coleta de dados em sites oficiais  ambientais estaduais e federais e do Ministério do Trabalho e Emprego. 


Juntamente com a análise realizada por especialistas da Serasa Experian, fornecida pelos Relatório de Responsabilidade Social e do Relatório de Responsabilidade Ambiental - que analisam a gestão ambiental e social -, o cruzamento de dados sobre o cumprimento das responsabilidades com a legislação classifica as empresas em  cinco graus de responsabilidade social e ambiental: quanto maior a aderência  da companhia aos critérios ambientais e sociais, melhor sua classificação. 


Outra ferramenta que contribui para a adequação às novas resoluções do Bacen são os cursos de capacitação voltados aos profissionais de bancos, financeiras e cooperativas de crédito. Os cursos auxiliam as instituições a desenvolverem suas políticas socioambientais, considerando riscos e necessidades da empresa e dos clientes.


Fonte: Jornal Dia a Dia
Dia a dia - credito e meio ambiente

Publicado em 16/05/2014


webTexto é um sistema online da Calepino
Marcos Criação