Notícias



Capitais assinam pacto pela sustentabilidade


A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Smam) e o Instituto Latino-Americano de Desenvolvimento Econômico Sustentável (Ilades) realizaram ontem, em Porto Alegre, o segundo Encontro dos Secretários de Meio Ambiente das Capitais Brasileiras (CB27). A reunião resultou na assinatura, por parte de 25 representantes de governos municipais, de um pacto para a preservação ambiental.


O titular da Smam, Luiz Fernando Záchia, afirmou que desde o primeiro evento, realizado no ano passado, na cidade do Rio de Janeiro, as duas capitais trabalham em parceria para a construção do inventário da emissão de gases estufa em Porto Alegre. A expectativa é de que o documento - uma avaliação detalhada das emissões de gases de efeito estufa e suas principais fontes dentro da cidade - esteja pronto até o final de 2013.


"O Rio de Janeiro está no seu terceiro inventário e Porto Alegre está começando a trabalhar a questão. Os técnicos da capital fluminense vão começar a treinar os profissionais porto-alegrenses para que se possa construir aqui este documento", disse Záchia. 


A abertura do evento foi feita pelo prefeito José Fortunati, que fez uma dura crítica ao tratamento dispensado pela União aos municípios. De acordo com ele, as prefeituras são responsáveis pelo bem-estar da população e por responder aos moradores sobre os problemas que surgem na cidade, e, mesmo assim, são tratadas em segundo plano.


"O governo federal reduz o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e nós temos de responder sobre as dificuldades de mobilidade causada pelo uso abusivo dos carros. É inadmissível que continuem apostando apenas nos carros como forma de locomoção. Precisamos incentivar o transporte coletivo, com a redução das passagens", ressaltou. Segundo Fortunati, quando se fala em sustentabilidade deve-se sempre tratar da questão do transporte coletivo de qualidade. 


Além de buscar maior visibilidade dos municípios e suas necessidades, os secretários de 27 capitais e empresários trocaram experiências sobre as formas de resolução de problemas que envolvem a questão do meio ambiente. Os secretários elaboram a chamada Carta de Porto Alegre, um documento de propostas que visam a garantir a preservação ambiental, o desenvolvimento sustentável e a redução do efeito estufa. "Essa carta dá um arcabouço para a parceria entre as capitais, trazendo maior organização ao trabalho. O pacto feito entre Porto Alegre e Rio de Janeiro deve ser multiplicado para as outras cidades, com a troca de técnicos e conhecimento", explicou o secretário municipal do Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Alberto Vieira Muniz. 


Fonte: Jornal do Comércio
JCRS inventario GEE

Publicado em 23/04/2013


webTexto é um sistema online da Calepino
Marcos Criação