Notícias



Empresa de Telefonia investirá R$ 10 milhões em logística reversa


A operadora Oi firmou uma parceria com a Descarte Certo, do Grupo Ambipar - especializada em serviços de coleta, manejo de resíduos e reciclagem de produtos eletroeletrônicos velhos ou sem uso e produtos pós-consumo - por meio da qual financiará a construção de cinco fábricas de reciclagem no país, em contrapartida à prestação de serviços de coleta, manufatura reversa e destinação final de resíduos produzidos pela própria empresa, de seus fornecedores, clientes e colaboradores, além da gestão de todo o processo. Pelo acordo a Oi investirá R$ 6 milhões em 2013 e mais R$ 4 milhões nos próximos cinco anos. 


A iniciativa de gestão de resíduos sólidos será implementada em quatro fases. Nas primeira e segunda fases, a Descarte Certo fará um mapeamento e análise de todas as práticas de descarte da operadora e implementará novos processos em todos os pontos de venda da Oi, que serão credenciados para receber celulares fora de uso. Em um terceiro momento, que deve ocorrer ainda em 2013, a operadora passará a oferecer serviços de descarte dos eletrônicos. Em uma quarta fase, a operadora apoiará a criação de índices de sustentabilidade.


"Hoje oferecemos uma área para descarte destes produtos nas lojas. É um serviço gratuito que será mantido. Mas, além disso, podemos estabelecer outros serviços como a coleta do equipamento no domicílio do usuário. Isso ainda depende de um estudo de viabilidade econômica e quanto poderia ser cobrado", afirmou ao TeleSíntese o diretor de tesouraria e relações com investidor, Bayard Gontijo, a respeito dos serviços de descarte ambientalmente adequados que poderiam ser criados. 

As novas fábricas de desmontagem dos equipamentos serão instaladas no Rio Grande do Sul, Goiás, Amazonas, Rio de Janeiro e Pernambuco. A unidade de Americana (SP) será ampliada. Juntas, as seis unidades atenderão a demanda da Oi e do mercado, dobrando a capacidade instalada, que totaliza 2,7 mil toneladas de materiais eletrônicos processados por mês (1,2 mil toneladas adicional). A localização das unidades foi definida com base no mapa de consumo, com o objetivo de reduzir o custo ambiental e financeiro do processo.


A Oi afirma ser a primeira operadora de telefonia e a primeira empresa da iniciativa privada a fechar uma parceria para apoiar a estruturação da logística reversa de resíduos sólidos. Com a ação, a operadora antecipa a sua adequação à aplicação da Lei 12.305, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que deve ter caráter obrigatório a partir do segundo semestre de 2013, após regulamentação. 

 

Na PNRS estão previstas a redução da geração de resíduos, a reutilização dos resíduos sólidos e a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos. Também está prevista a responsabilidade compartilhada dos geradores de resíduos, o que inclui desde os fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes até os consumidores, na logística reversa dos resíduos e embalagens pós-consumo.

"Com a construção dessas fábricas, o Brasil passa a ter a capacidade instalada necessária para desindustrializar produtos pós-consumo adequadamente. Isso colocará o país nos mesmos padrões internacionais com emprego de tecnologia, inovação, capacitação de mão-de-obra e geração de empregos", diz o presidente da Descarte Certo, Lucio Di Domenico.


Hoje, a Oi já realiza o gerenciamento do material descartado junto aos seus prestadores de serviços, utilizando empresas de reciclagem homologadas pelos órgãos ambientais. Em 2011, foram encaminhadas mais de 3.300 toneladas de material para reciclagem, como cobre, alumínio e ferro, cabos de fibra ótica, baterias, cabos telefônicos, sucatas de informática, fibra de vidro, partes de peças de telefones públicos vandalizados, sucatas de mobiliário, entre outros. A meta é de 100% de reaproveitamento dos produtos, com a reinserção destes materiais na cadeia produtiva.


A companhia também disponibiliza urnas coletoras em suas lojas para o recolhimento de aparelhos celulares, baterias e acessórios, em cumprimento à regulamentação federal aplicada pela Resolução 401/08 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). A coleta é ainda estendida aos colaboradores, com urnas coletoras em 40 prédios administrativos. Com isto, considerando prédios administrativos e lojas, foram destinados à reciclagem cerca de 43 mil itens em 2011.


Fonte: Telesíntese
TeleS L reversa

Publicado em 11/12/2012


webTexto é um sistema online da Calepino
Marcos Criação