Notícias



Empresas veem lei como principal motivo para aplicar logística reversa


De acordo com a pesquisa, apenas 23% das empresas nacionais têm iniciativas de coleta usando o consumidor para levar o resíduo ao ponto de entrega. Entre as companhias com esse tipo de iniciativa, mais da metade oferece algum incentivo ao consumidor para levar o resíduo a um ponto de coleta.


Na maior parte das ações (42%), os resíduos devem ser entregues em pontos de venda do varejo, enquanto em 27% dos casos, os pontos de coleta são instalados na própria empresa.

A pesquisa ouviu 101 empresas, que estão entre as 1.000 maiores do país.  A questão geográfica está entre os principais obstáculos apontados pelas empresas para investirem na logística reversa. Elas alegam que, como o consumidor está espalhado pelo país, isso dificulta um pouco a operação e eleva custos, em razão da baixa escala de transporte.


A necessidade de instalação de pontos para a coleta dos resíduos foi apontada como barreira por 53% das companhias consultadas. Para 45%, falta mais apoio governamental para a coleta seletiva.  A consultora do Instituto Ilus, Gisela Sousa, afirmou que a pesquisa ouviu ao todo 101 empresas, situadas entre as 1.000 maiores do país.


Menos de 40% das indústrias do país possuem área específica para a logística reversa.


Outros pontos de destaque no estudo:

  • Para 39% das empresas consultadas, a maior motivação para implantar a logística reversa consiste em elevar o prestígio da marca e sua imagem com clientes;
  • Já para 32%, o principal fator é atender a demanda de ambientalistas;
  • Menos de 40% das indústrias do país possuem área específica para a logística reversa. Desse total, 60% estão pouco ou muito pouco dispostas a desenvolver essa área;
  • Cerca de 70% das consultadas querem gastar, "no máximo", R$ 400 mil por ano para fazer uma operação de logística reversa.


Entenda a Logística Reversa

A gestão obrigatória de resíduos pós-consumo é um dos princípios da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), instituída em 2010, e que estabelece a responsabilidade compartilhada entre governo, indústria, comércio e consumidor final pelo ciclo de vida do produto.


Pela lei, fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes devem estruturar e implantar sistemas de logística reversa para o retorno de produtos e embalagens do consumidor, respeitando as características dos itens a ser descartados.


Os detalhamentos da implementação das medidas de logística reversa serão definidos nos editais previstos para serem publicados entre novembro e dezembro próximos, a partir da assinatura dos acordos setoriais com o governo.


Fonte: Exame
Exame - logistica reversa

Publicado em 28/08/2012


webTexto é um sistema online da Calepino
Marcos Criação