Notícias



CEBDS lança Visão Brasil 2050 - Uma nova agenda de negócios para o país


CEBDS lançou nesta sexta-feira (22/06), em evento paralelo da Rio+20, no Riocentro, o Visão Brasil 2050 - uma nova agenda de negócios para o país, documento prospectivo que tem o propósito de apresentar uma visão de futuro sustentável e qual o caminho possível para alcançá-lo. "É um ponto de partida que pretende ser a base para o planejamento estratégico das empresas brasileiras. É também a contribuição do setor empresarial para a sociedade brasileira na busca do desenvolvimento sustentável", disse Marina Grossi, presidente executiva do CEBDS, entidade que reúne 74 grandes grupos corporativos.

Representando o governo federal no lançamento do Visão Brasil 2050, o embaixador Carlos Márcio Cozendey, assessor internacional do Ministério da Fazenda, disse que a entrega do documento coroou o objetivo da Conferência de mobilizar todos os setores da sociedade em torno do tema sustentabilidade. "Esse conceito está entrando cada vez mais nos processos decisórios das empresas. A sociedade está amadurecendo em relação às questões da sustentabilidade e espero que este documento sirva para implementar esta maturidade", disse o embaixador.


Inspirado no Vision 2050, estudo de prospecção lançado em 2010 pelo World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), o documento brasileiro aponta os principais desafios do Brasil em nove temas de referência identificados como relevantes para a realidade do país. A partir do cenário atual procurou-se definir como seria o país desejado em 2050 e qual o caminho para se chegar até lá. Para elaboração do texto, ao longo de 2011, o CEBDS contou com a parceria e consultoria da PwC Brasil. Ao todo foram realizados 11 workshops com cerca de 500 pessoas de mais de 70 empresas e dezenas de instituições acadêmicas, ONGs e representantes dos governos. Um Conselho Consultivo com nove especialistas também foi criado para agregar novas perspectivas e identificar as lacunas do documento. 

"Esse é o resultado de um profundo engajamento das empresas, academia e da sociedade civil, em mais de um ano de trabalho. Mudanças culturais profundas serão necessárias, nas empresas, nos governos, nas pessoas. E o caminho a ser trilhado passa pela educação e capacitação para empregos verdes, incentivos para a inovação em tecnologias limpas, redução drástica da taxa de desmatamento e das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), acesso universal à mobilidade, investimento na diversificação das fontes de energia limpas, linhas de financiamento sustentáveis, estímulos para a economia local e solidária, e saneamento básico a todos", explicou Marina Grossi. O estudo traz também um cenário de ameaças e riscos que desafiam a transição para o desenvolvimento sustentável.

Os nove pilares do Visão Brasil 2050 são: Valores e Comportamento; Desenvolvimento Humano; Economia; Biodiversidade e Florestas; Agricultura e Pecuária; Energia e Eletricidade; Edificações e Ambiente Construído; Mobilidade, e Materiais e Resíduos. Cada um dos temas está dividido em quatro partes: cenário atual, visão 2050, ações até 2020 e ações de 2020 até 2050.


Fonte de inspiração

Executivos presentes no lançamento do Visão Brasil 2050, destacaram o documento como uma fonte de inspiração para o planejamento estratégico das empresas brasileiras. "A entrega deste documento é a grande contribuição do setor empresarial para o país. O Visão Brasil 2050 faz uma diferença imensa. Daqui pra frente nenhuma empresa poderá dizer que não tem uma visão para onde chegar", considerou Franklin Feder, CEO da Alcoa.

"O desenvolvimento sustentável é um caminho que está em construção. Mas ainda não temos todas as respostas. Com a visão, as respostas começam a aparecer. O documento ajudará a dar um direcionamento para as empresas. É muito importante fazer essa reflexão", disse David Canassa, diretor corporativo de Planejamento e Gestão do Grupo Votorantim. Para ele, todos os temas elencados no Visão Brasil 2050 são extremamente lógicos para o contexto empresarial. "Assim, vão ajudar as empresas a direcionar seus planejamentos estratégicos em médio e longo prazos. O Visão cumpre o seu papel, vai nos inspirar e ajudar a traçar novos rumos. É a melhor visão com o conhecimento que temos agora. É uma contribuição excepcional do empresariado brasileiro", completou.

"É um documento inspirador e que precisa de uma constante reflexão para uma caminhada para a sustentabilidade", afirmou Jorge Soto, diretor de Desenvolvimento Sustentável da Braskem.Também participaram do evento de lançamento do Visão Brasil 2050, Malu Pinto, diretora executiva de Desenvolvimento Sustentável do Santander;  Glauce Ferman, diretora de Relações Governamentais e Institucionais da Michelin; e Philippe Joubert, assessor do presidente do WBCSD (World Business Council for Sustainable Development); além da vice-presidente e da diretora executiva do CEBDS, Mariana Meirelles e Lia Lombardi, respectivamente.


Propostas

Algumas propostas de Ações até 2020 se destacam. No tema Economia, para chegar ao desejado, o texto propõe ações de curto prazo, como incentivos por meio de renúncia fiscal, como por exemplo, as isenções de impostos sobre produtos industrializados (IPI) com tecnologias mais eficientes, orientadas para o baixo carbono, ou que promovam a proteção ambiental.

Em Energia e Eletricidade, o estabelecimento de subsídios e incentivos fiscais para a construção de parques eólicos, produção de biomassa, pequenas centrais hidroelétricas e outras fontes renováveis de geração de eletricidade, complementando a atual matriz hídrica é uma das propostas de curto prazo, além do incentivo a comercialização de veículos híbridos, por meio de redução de tarifas como IPVA, IPI e outros impostos.

Em Florestas e Biodiversidade, o texto apresenta como caminho para a Visão 2050 a inserção de critérios que assegurem a proteção da biodiversidade nos processos de compras públicas. E, em Edificações e Ambiente Construído, a garantia da comprovação da origem legal de matéria-prima, a implementação da medição individualizada de água em edificações novas e na reforma das existentes, e a garantia de incentivos e subsídios fiscais para o investimento em eficiência energética nas edificações são algumas das ações que levarão ao desperdício zero na construção civil.

Faça o download da publicação: Visão 2050



Fonte: CEBDS
Lançamento do Visão 2050

Publicado em 22/06/2012


webTexto é um sistema online da Calepino
Marcos Criação