Notícias



Rio de Janeiro terá o maior projeto de reuso de água para fins industriais do mundo


O Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí, receberá o maior projeto de reuso de água do mundo para fins industriais. A reutilização será possível com a ampliação da capacidade da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) de Alegria, no Caju, através do Programa de Despoluição da Baía de Guanabara (PDBG).

Nos próximos dois anos, uma nova unidade de processamento será instalada na estação do Caju, fazendo com que o esgoto - que já passa por tratamento secundário, retirando 98% das impurezas - atinja o nível terciário, de 100% de remoção da carga orgânica. Atualmente, a ETE opera com 2.500 litros de água por segundo (l/s), com a interligação dos imóveis de 16 bairros do Rio de Janeiro. O Comperj irá reutilizar 1.500 l/s.

- A unidade terciária, que está começando a ser construída, vai tratar a água de reuso que vai para o Comperj. São muitos litros de esgoto por segundo que deixam de cair na Baía de Guanabara. Essa é mais uma parceria entre a Secretaria do Ambiente e a Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos) - afirmou o secretário do Ambiente, Carlos Minc.

Serão investidos R$ 1 bilhão na ampliação da estação, incluindo a construção dos dutos que atravessarão a Baía de Guanabara ligando as ETEs de Alegria e São Gonçalo. A água fornecida pela Cedae ao Comperj será produzida a partir dos efluentes de bairros centrais e da Zona Norte do Rio, submetidos a tratamento de alta tecnologia, monitorado através de medidores de qualidade online.

Programa de Despoluição receberá R$ 2 bilhões até 2016

Cenário dos Jogos Olímpicos, a Baía de Guanabara receberá até 2016 cerca de R$ 2 bilhões para esgotamento sanitário. No Programa de Saneamento Ambiental dos Municípios do Entorno da Baía de Guanabara (Psam) - principal projeto do PDGB - serão aplicados R$ 1,1 bilhão, sendo R$ 800 milhões do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e R$ 330 milhões do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (Fecam).

- Nos últimos quatro anos, o Programa de Despoluição da Baía de Guanabara alcançou números históricos. A quantidade de esgoto com tratamento secundário aumentou de 2 mil litros por segundo para 6 mil por dia, o equivalente a dois Maracanãzinhos de esgoto. O Rio chegará a 2016 tratando 16 mil l/s. Até 2007, só eram tratados 2 mil l/s - afirmou o presidente da Cedae, Wagner Victer.

Nos próximos meses, a Cedae colocará em operação a Estação de Tratamento de Esgoto de São Gonçalo e ampliará a ETE Pavuna e o sistema de esgotamento sanitário de Paquetá. Em 2012, também será construída a galeria de cintura da Marina da Glória. Orçada em R$ 12 milhões, com recursos do Estado e do Grupo EBX, a galeria irá coletar o esgoto extravasado pelas galerias de águas pluviais.

Fonte: Correio do Brasil

http://correiodobrasil.com.br/caju-ganha-projeto-de-reutilizacao-de-agua/445869/

Publicado em 04/05/2012


webTexto é um sistema online da Calepino
Marcos Criação