Notícias



ONGs buscam no exterior apoio para veto de Dilma a Código Florestal


As organizações ambientais do Brasil têm buscado apoio no exterior para pedir à presidente Dilma Rousseff que vete as alterações feitas no Código Florestal, aprovado no Senado no último dia 6 e que será apresentado novamente à Câmara dos Deputados no próximo ano.

O Greenpeace e o WWF passaram a convocar e a "provocar" pessoas de vários países em defesa da causa por meio do ciberativismo, movimento ativista que utiliza principalmente a internet como forma de divulgação.

Manifestações em frente a embaixadas brasileiras em diferentes nações já foram realizadas com por meio deste movimento, inclusive na Conferência do Clima das Nações Unidas, realizada na África do Sul, onde a frase "desliga a motosserra", slogan de campanha contra o Código Florestal do Greenpeace, foi projetada na fachada de um hotel.

Outro exemplo é a campanha realizada pelo Greenpeace Internacional contra a nova lei ambiental brasileira, com a utilização de vídeo que mostra como as principais cidades do mundo ficariam sem seus cartões-postais e aponta a gravidade do desaparecimento da Amazônia, com uma possível elevação do desmate e das queimadas. Tais fatos, segundo a ONG, seriam consequências da aprovação da nova lei.

Segundo Tatiana de Carvalho, coordenadora da campanha do Código Florestal no Greenpeace, cerca de 50 mil pessoas de fora do país assinaram uma petição virtual que será enviada ao governo federal. "Elas querem saber como ajudar e por isso organizamos esse abaixo-assinado pedindo que sejam vetados pontos do projeto como a anistia para quem desmatou até 2008 e a redução das áreas de Reserva Legal", afirma.

Para ela, o assunto ganhou força internacional e já há mobilização forte. "O mais importante agora é manter o debate sobre o tema até a votação do projeto na Câmara dos Deputados, no próximo ano", explica.

Alemanha
Nesta quarta-feira (14), um grande telefone de emergência com a mensagem "Veta, Dilma", além de cartazes e uma bateria de escola de samba chamaram a atenção de quem passava pelo centro de Berlim, na Alemanha.

Segundo Maria Cecília Wey de Brito, secretária-geral do WWF-Brasil, a intenção do ato era despertar a atenção da sociedade para o tema, considerado complexo, mas que tem repercussão na vida de todos no Brasil e no mundo.

"É fundamental que a presidente cumpra com sua palavra e vete os dispositivos que concedam anistia a crimes ambientais e que promovam desmatamentos", afirma.

Governo
Em várias ocasiões, Dilma tem reafirmado que vetará trechos que considere prejudiciais ao país e se declarou contra a consolidação de áreas desmatadas ilegalmente e à anistia a desmatadores.

No último dia 12, a presidente assinou um decreto que prorroga por mais quatro meses a suspensão de multas aplicadas a proprietário rurais que descumprem a atual lei ambiental por desmatamento.

O decreto anterior que suspendia as multas havia vencido um dia antes, o que deixaria milhares de produtores na ilegalidade. A intenção do governo é esperar a votação do Código Florestal na Câmara, que pode conceder anistia a parte dos produtores que devastaram suas terras. A suspensão das multas vale até 11 de abril de 2012.

O projeto que altera o Código Florestal só será votado na Câmara em março de 2012, segundo o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP).

Fonte: G1

http://g1.globo.com/natureza/noticia/2011/12/ongs-buscam-no-exterior-apoio-para-veto-de-dilma-codigo-florestal.html

Publicado em 15/12/2011


webTexto é um sistema online da Calepino
Marcos Criação