Notícias



IPCC debate Inventários Nacionais de Emissões


A secretária de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Thelma Krug, participou de 13 a 15 de maio de 2008, na Finlândia, de reunião do Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC), co-presidida pelo Brasil e Japão. A reunião tratou das metodologias para elaboração de Inventários Nacionais de Emissão de Gases de Efeito Estufa, especificamente para o setor de Mudança do Uso da Terra e Florestas. As discussões envolveram as dificuldades de implementação das metodologias desenvolvidas pelo IPCC para a área.

Os inventários são elaborados pelos países e revistos periodicamente, conforme estabelecido na Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima. As diretrizes do IPCC dividem a metodologia de estimativa de emissões por fontes e remoções por sumidouros de gases de efeito estufa do inventário em seis setores principais: Energético, Industrial, Solventes, Agropecuário, Mudança do Uso da Terra e Florestas e, finalmente, Tratamento de Resíduos.

O Brasil prepara atualmente o seu segundo inventário e está utilizando a metodologia que hoje é obrigatória apenas para os países desenvolvidos. "Migrar para essa metodologia é um passo muito importante, porque o Brasil está utilizando o que há de mais avançado hoje para elaboração de inventários", afirma Thelma. Mas há dificuldades na implementação dessas metodologias, e não apenas por parte dos países em desenvolvimento. "Há dificuldades por parte dos países desenvolvidos também", diz a secretária.

A área de maior complexidade é justamente a que diz respeito a Mudanças no Uso da Terra e Florestas, responsável por 75% das emissões brasileiras registradas no primeiro inventário. No setor agrícola, por exemplo, são necessários estudos específicos por tipo de cultivo e região, o que dificulta a aplicação das metodologias. "Estamos pinçando os aspectos que funcionam no papel, mas que na prática são difíceis de serem implementados, para discuti-los melhor na reunião", acrescenta Thelma.

De acordo com o primeiro inventário nacional, divulgado em 2004, o país emitia na época cerca de 1 bilhão de toneladas de gás carbônico (CO2), 13 milhões de toneladas de metano e 500 mil toneladas de óxido nitroso, os principais gases causadores do efeito estufa - o equivalente a 3% das emissões mundiais de gases. O documento foi elaborado abrangendo o período entre 1990 e 1994. O segundo inventário deve estar pronto no final de 2009.

Fonte: MMA em 12/05/2008.

http://www.mma.gov.br/

 


webTexto é um sistema online da Calepino
Marcos Criação